Lavrador é preso por estuprar filhas e matar esposa e filho no Sul de Minas


Um lavrador de 37 anos foi preso na noite dessa segunda-feira (30) por ter cometido consecutivos estupros contra sua filha e enteada e ter matado a esposa e um filho no Sul de Minas. O criminoso foi detido no bairro Santa Rita, em Albertina, depois que a filha dele, de 13 anos, o acusou de estupro.
Indignada com o abuso sexual sofrido há pelos menos um ano, a adolescente procurou por conselheiras tutelares, que acionaram a polícia. Durante depoimento, a adolescente acabou contando aos policiais que a irmã dela, de 16 anos, também havia sido estuprada pelo lavrador durante quatro anos. Além dessa denúncia, a garota afirmou aos militares que suspeitava que a sua mãe, de 36 anos, e o irmão, de 15, haviam sido mortos pelo pai. Conforme a menina, os dois estavam desaparecidos há pelo menos cinco meses.

Com o auxílio de informações da garota, o lavrador foi localizado. Ao ser questionado sobre a acusação dos estupros e homicídios, o homem confessou todos os crimes e revelou que matou a esposa e o filho porque eles tinham flagrado os abusos sexuais. Além dessa argumentação, o suspeito alegou que havia descoberto que a mulher tinha uma amante.

Jovens são baleados em Ipatinga

Crimes neste domingo aconteceram nos bairros Bom Jardim e Limoeiro 

IPATINGA – Após receber dois tiros no tórax, um no abdômen e outro no pescoço na noite deste domingo (29), o desempregado Kenede Silva Lacerda, de 23 anos, foi submetido a uma cirurgia no Hospital Márcio Cunha (HMC), em Ipatinga. Já na madrugada desta segunda-feira (30), ele não resistiu aos ferimentos e morreu às 4h20. O caso é investigado na Delegacia Adjunta de Crimes contra a Vida (DACcV). 

 
Reprodução 

Surpreendido por um motoqueiro na Rua Marmelos, Kenede foi alvejado no tórax, abdômen e pescoço


A Polícia Militar apurou que Kenede estava na Rua Marmelos, no Bairro Limoeiro, quando foi surpreendido por um homem de roupas escuras e capacete preto. O desconhecido, que pilotava uma moto Honda Titan, efetuou vários disparos contra o desempregado, que foi socorrido ao HMC em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). 
Conforme a PM, Kenede tinha passagens na polícia por tráfico de drogas e furto. Informações sobre o homem que atirou contra ele podem ser repassadas de maneira anônima à polícia através do disque-denúncia 181.

Outro baleado 
Também neste domingo, Wilian Indiani de Almeida, de 17 anos, foi vítima de disparos de arma de fogo na Rua Cravina, no Bairro Bom Jardim. Ele recebeu quatro tiros e foi socorrido ao HMC em uma unidade do Samu.
PMs receberam informações acerca da tentativa de homicídio e seguiram para o endereço. Uma testemunha revelou que o responsável por tentar matar o adolescente seria um homem de prenome Warley, que não foi localizado.
Já no hospital, policiais conversaram com Willian, mas ele não quis revelar a identidade do atirador. O menor foi alvejado por dois disparos na perna direita e mais dois nos braços, além de ter sofrido um corte na cabeça. Seu quadro clínico é estável. 

Igreja Universal lança cartão de crédito para seus fiéis


Vergonha é pouco!!!



A Igreja Universal acaba de lançar o seu cartão de crédito.

O cartão – pasmem – tem bandeira Visa. E a fatura pode ser liquidada em 10 vezes.

E ainda: os Dízimos também poderão ser pagos no crediário.

Jovem vai a júri popular por morte de policial militar rodoviário em BH - PRv


Crime aconteceu em abril de 2009, no bairro Belvedere.
Ele vai responder por homicídio doloso, em que há consciência dos riscos.

Do G1 MG
A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público (MP) de Minas Gerais contra um homem acusado de atropelar e matar um policial rodoviário e determinou que ele vá a júri popular pelo crime, ocorrido em abril de 2009, no bairro Belvedere, na Região Centro-Sul deBelo Horizonte. O militar, então com 40 anos, chegou a ser socorrido e ficou internado no Hospital Pronto-Socorro João XXIII em estado de coma até maio do mesmo ano, quando morreu. A assessoria do Fórum Lafayette informou que o réu, que na época do acidente tinha 24 anos, responde por homicídio doloso, crime em que a pessoa age com consciência do risco de morte, uma vez que dirigia em alta velocidade. Cabe recurso da decisão.
De acordo com o fórum, no dia do crime, o policial sinalizava para informar os motoristas sobre um acidente na BR-356. A denúncia do MP acusa o então estudante de direito de ter ultrapassado a área, que estava devidamente sinalizada, bater em quatro veículos e de atropelar o militar.
Ainda segundo a denúncia, no dia da batida, policiais confirmaram que, além de dirigir com excesso de velocidade, o veículo do jovem estava com os faróis apagados. O motorista havia ingerido bebida alcoólica, confirmado por teste do bafômetro. Na ocasião, o estudante foi detido e teve a carteira de habilitação e o veículo retidos. Após pagar fiança de R$ 5.900, ele foi liberado.
De acordo com a Justiça, por ser réu primário, ter residência fixa e ocupação lícita, o jovem teve direito a responder o processo em liberdade, o que será mantido até o julgamento.
 

Justiça pode libertar todos os detentos de presídio de Lavras

Um pedido de habeas corpus para libertar todos os detentos do Presídio de Lavras, no Sul de Minas, foi solicitado na Justiça por um advogado da cidade. Conforme solicitação, o pedido é baseado no princípio da dignidade da pessoa humana e também da Lei de Execuções Penais.

O advogado propõe que os presos aguardem o julgamento em liberdade ou cumpram pena em prisão domiciliar, pois o presídio, que tem capacidade para apenas 51 presos, está com superlotação.

Devido a superlotação e irregularidades como falta de camas e espaços, o Ministério Público pediu a interdição do presídio.

Ainda não há informações sobre quais medidas judiciais serão tomadas.

190 NÃO!!! DIREITOS HUMANOS

Imagem do facebook

Após tentar matar um desafeto que conseguiu escapar, homem incendeia moto da vítima




Itabira/MG – No dia em que o serralheiro Wellington Afonso dos Santos completou 29 anos, ele quase acabou morto com um tiro. Não satisfeitos, dois rapazes ainda atearam fogo na motocicleta da vítima.
Após sair do serviço e seguir para casa no bairro Madre Maria de Jesus, por volta de 12h 30min deste sábado 28 de janeiro, Wellington por pouco não foi assassinado. Ele estava em sua motocicleta Honda CG Titan 150 prata, placa HHN-5528, passando pela rua cinco entroncamento com rua seis, quando foi abordado por um individuo que constantemente se envolve em troca de tiros.
Em uma conversa rápida entre os dois, o individuo queria saber o que o rapaz estava fazendo e se tinha amizade com moradores de outro ponto do bairro, que tem rixa com esse individuo. Momento em que o serralheiro respondeu que conversava com todos do bairro, que não tem problema com ninguém.
Em uma atitude de afronta e se dizendo ser dono da rua e daquele pedaço, rapidamente o individuo ligou para um comparsa que estava em uma casa próxima ao local da abordagem e na ligação ainda disse para ele trazer a “peça-draga”. Naquele momento surgiu o comparsa trazendo uma espingarda aparentando ser de calibre 44.
Temendo pela própria vida Wellington Santos abandonou a motocicleta no entroncamento entre as duas ruas e saiu correndo. Na mesma hora um dos indivíduos efetuou um disparo.
Não satisfeitos com a intimidação proporcionada ao serralheiro, que estava chegando do serviço na moto que usava para se locomover, os dois indivíduos jogaram o veículo no chão, abriram o tanque de combustível, deixaram a gasolina escorrer e em seguida atearam fogo, provocando com que a moto ficasse totalmente carbonizada.
Os militares chegaram ao local e iniciaram os trabalhos para localizar os dois autores e principalmente a arma longa, que se confirmada como sendo calibre 44, seria de uso restrito do exercito.
O Perito Técnico Piazza, da Polícia Civil, esteve no local realizando os trabalhos necessários e em seguida liberando a motocicleta, ou melhor, o que restou dela.
Ate’ o fechamento desta matéria os policiais não haviam conseguido localizar a dupla.

AS DESIGUALDADES SOCIAIS COMO FATOR MAXIMIZADOR DA CRIMINALIDADE


Por Cabo Cláudio - Colaborador do Blog dos Pracinhas.
Vivemos em uma sociedade onde a concentração de renda está mal distribuída e grande quantidade de capital concentra-se nas mãos de um pequeno grupo da elite, enquanto a maior parte da população vive na pobreza e abaixo da linha da pobreza.
É sabido que a pobreza por si só não é fator de criminalidade, como afirmam os estudiosos do assunto, sociólogos, assistentes sociais, criminólogos, antropólogos, etc. No entanto, onde há muita disparidade perde-se também, o equilíbrio natural.
De um lado mansões e castelos, do outro, barracos de madeira e biombosde lata. De um lado comidas com nomes desconhecidos pela grande maioria, carrões de luxo, roupas de “griffe”, festas suntuosas e conchavos políticos de alto nível e emaranhados de benefícios. Do outro lado, marmitas vazias e de pouca variedade, transporte coletivo de péssima qualidade, oportunidades parcas de subempregos, escassez de oportunidades de caráter geral, falta de acesso ao sistema de saúde, dentre outras polaridades majoradas a cada instante.
Não podemos esperar dessa dicotomia uma sociedade que viva em harmonia. Isso é um ponto que deve ser levado em consideração em todos os debates e ações políticas governamentais e não governamentais.
Fica aqui um ponto para reflexão.

CLÁUDIO CASSIMIRO DIAS, CABO PM, CRIMINÓLOGO, BACHAREL EM DIREITO E HISTÓRIA, PESQUISADOR DA HISTÓRIA MILITAR E PALESTRANTE, ACADÊMICO DA ACADEMIA DE LETRAS JOÃO GUIMARAES ROSA DA PMMG.

Anúncio da 'Domingueira do Pó' desafia a polícia na Grande BH


Moradores de Santa Luzia estão intrigados com os cartazes, que prometem drogas, mulheres e som automotivo liberados
Cartaz chama a atenção de quem passa pela avenida Brasília, em Santa Luzia 


Cartazes que anunciam uma festa “sem lei” estão chamando a atenção de moradores de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Na avenida Brasília, próximo aos bairros Cristina C, São Benedito e Londrina, anúncios colados nas paredes de lojas e postes convidam para a “Domingueira do Pó”, evento marcado para às 19 horas deste domingo (29), no Londrina, e que promete drogas, mulheres e som automotivo liberados.

Outro detalhe curioso é a referência do local da festa: “próximo ao quartel” (perto do endereço funciona a 58ª Companhia do 35º Batalhão de Polícia Militar).

A enfermeira Aparecida Fonseca, de 54 anos, que mora na avenida Brasília, no São Benedito, desconfia que os cartazes tenham sido pregados na madrugada de sábado (28), porque na sexta-feira não estavam no local.

A auxiliar de limpeza Solange Dias, de 39 anos, moradora do bairro Belo Vale, disse que nunca viu anúncios como estes, apesar de ver acontecer festas em bares com a participação de mulheres usando roupas muito curtas e homens estacionando carros com som em alto volume. “O mundo está acabando”, lamentou, ao ver o cartaz.


Segundo o sargento Ivan, da 58ª Companhia Tático Móvel do 35º Batalhão, a polícia providenciou a retirada da maioria dos cartazes e informou que a ocorrência foi registrada na Delegacia de Polícia Civil de Santa Luzia, que vai encaminhar o caso à promotoria. No entanto, a suspeita dos militares é de que os cartazes tenham sido colados por moradores para chamar a atenção da polícia e reivindicar mais segurança.

Apesar de o militar ter informado que o policiamento no local é intenso e de que não há ocorrências de festas regadas a drogas e sexo nas imediações, um morador e um frequentador da região, que não quiseram se identificar, disseram que, na avenida Bernardo Guimarães, endereço tanto da festa quanto da unidade da polícia, existem três bares que organizam pagodes todo domingo à noite e incomodam os vizinhos, por causa do som alto.

Soldado dos bombeiros é pego usando crack em quartel e é expulso

Tristeza
Um soldado do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul foi flagrado usando crack dentro de um quartel e foi exonerado da corporação após se recusar a ser submetido a tratamento.

O tenente capelão Edilson dos Reis, que é responsável pelo Centro de Apoio Biopsicosocial do Corpo de Bombeiros, disse à imprensa que o soldado de 30 anos já tinha sido flagrado fumando crack dentro de um banheiro do quartel em 2009. Desde aquele momento, o militar teria recebido apoio da corporação para largar o vício.
Segundo o tenente, o soldado começava terapias e abandonava. Ele tinha sido afastado do serviço e, após alguma recuperação, foi reitegrado.
A exoneração foi publicada durante a semana e o soldado passou por um exame psicológico no qual foi considerado relativamente incapaz e inimputável, ou seja, não poderia ser preso pelo delitos que cometeu, no máximo internado para tratamento.
 

Prêmio por Produtividade 2011/2012


O Prêmio por Produtividade já está na conta!

Atenção: o Pagamento do Prêmio por Produtividade (1ª parcela) já está na conta! contudo, confiram que a data é do dia 30 de Janeiro, portanto, se você retirar antecipadamente qualquer valor estará sujeito a cobrança do famoso "adiantamento depositante".

Pelo fim da Resolução de Movimentação!!!


Suspeito de matar PM em frente a boate do Centro de SP é preso em SC


A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo prendeu em São José, no interior de Santa Catarina, Adelson Aparecido Tomaz, conhecido como Paraná, suspeito de matar um policial e ferir outro em frente à boate Love Story, na República, região central da capital paulista, em novembro. Ele tem passagens na polícia por tráfico de drogas, sequestro e cárcere privado, corrupção de menores, motim de presos, homicídio e tentativa de homicídio, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

No domingo (22), o Fantástico exibiu uma reportagem com as imagens do crime. O vídeo mostra o momento em que Paraná chega com dois amigos à boate. Eles são conhecidos de funcionários e frequentadores. O segurança proíbe a entrada com qualquer tipo de bebida. Paraná joga a garrafa d’água no chão. Ele e os amigos pagam R$ 60 cada um e ficam menos de quatro minutos dentro da casa noturna. Logo depois, Paraná tenta entrar de novo, mas o segurança impede, alegando que ele está muito alterado.

GOVERNADOR PRESIDIU - Coronel Sant´Ana é o novo comandante-geral da PMMG

O governador Antonio Anastasia presidiu, na manhã de ontem, dia 26, na Academia de Polícia Militar, a solenidade de transmissão do cargo de comandante-geral da Polícia Militar, do Coronel Renato Vieira de Souza para o Cel Márcio Martins Sant´Ana, que estava à frente do Estado-Maior da Corporação. Paralelamente, o Cel Divino Pereira Brito, oriundo da Assessoria Institucional da Corporação, assumiu a chefia do Estado-Maior. A troca de comando ocorreu porque o Coronel Renato completou seu tempo de efetivo serviço à Corporação e solicitou, em novembro, sua transferência para o Quadro de Oficiais da Reserva, que ele mesmo define como “Reserva Altiva”.

Antonio Anastasia ressaltou a competência e a dedicação dos dois coronéis. Dirigindo-se ao Cel Sant`Ana, disse: “A exemplo de seus antecessores, o senhor terá não só o meu apoio, mas também um amigo nas horas de comemoração e de dificuldades”. Ao dirigir-se ao Coronel Brito, o governador fez considerações sobre o currículo do oficial e afirmou: “Tenho a certeza de que terá um desempenho positivo á frente desta Instituição”.

NOVO CHEM
Natural de Lassance, o Coronel Brito nasceu dia 13 de outubro de 61. É casado com Rosana Queiroz e tem dois filhos -  Ígor e Gisele. Ingressou na PMMG em 82, como soldado do Corpo de Bombeiros, e ficou no Curso de Formação de Oficiais – CFO, entre 1982 e 1986, quando foi declarado Aspirante-a-Oficial. Serviu no 10º BPM (Montes Claros), Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran-BH), no 5º BPM (BH), no Gabinete Militar (como chefe pessoal do governador) e na chefia da Assessoria Institucional. Foi assessor Militar na Assembleia Legislativa, auditor da PM e, novamente, atuou na Assessoria Institucional, como chefe do setor.

ANASTASIA SE IRRITA COM O QUESTIONAMENTO SOBRE A CRISE NA SEGURANÇA

Vai preso, chora e pede perdão

IPATINGA - A Polícia Militar prendeu na tarde de anteontem Maurício Conceição Santos, 19 anos, suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas. Militares do GIRO que realizavam patrulhamento pela avenida Galiléia, no bairro Canaã, abordaram uma motocicleta CG 125 Fan, preta, placa HME-5461. Durante a abordagem foram encontrados com o passageiro da motocicleta aproximadamente 500 gramas de maconha. Segundo o condutor da moto - que trabalha como mototaxista - estava levando o passageiro para o bairro Caravelas. Maurício disse ser usuário de droga e que a quantidade encontrada com ele era para sustentar o próprio vício. Em conversa com a reportagem o rapaz chorou, pediu perdão à mãe e contou sobre sua vida. 

DIÁRIO POPULAR
 - Você ia vender a droga?
MAURÍCIO
 - Não ia vender a droga. Eu fumo maconha é de 15 em 15 minutos, não está nem "batendo em mim mais" (não faz mais efeito). Eu fumo é muito mesmo. 

DP
 - Usa crack também?
MAURÍCIO
 - Não. Nem crack, nem farinha (cocaína). Só maconha. 
DP - Por\que comprou essa quantidade toda de droga?
MAURÍCIO
 - Enjoei de toda vez comprar R$5. Tem que comprar é muito uai, para fumar por mais tempo e evitar de ficar indo na boca pegar pouca droga.

DP - Você pagou quanto por ela?
MAURÍCIO - R$400. 

DP - Você já esteve preso, participou de um assalto. Por que não saiu das drogas?
MAURÍCIO - Parei de fumar cigarro, mas a maconha eu não consegui. Todo mundo me vê fumando maconha no Caravelas, ninguém nunca reclamou. 

DP - Você pensa em sair desta vida?
MAURÍCIO - Sair de qual vida? Eu não estou na vida do crime. Sou usuário de maconha. Se eu vendesse droga eu tinha dinheiro, mas não tenho, gente. Nem roupa eu tenho. 

DP - Quantos cigarros fuma por dia?
MAURÍCIO - Uns 20. Meio quilo pra mim é pouco. Dá pra um mês só. 

DP - Agora que você está preso, será obrigado a parar. Como vai ser?
MAURÍCIO - Na hora que sair fuma mais, ué. Mas vamos ver se eu tomo vergonha na cara e paro. 

DP - Você quer falar mais alguma coisa?
MAURÍCIO - (Choro) Quero pedir perdão pra minha mãe, porque ela me avisou; falava pra eu usar minha maconha só dentro de casa. E eu desobedeci. Eu não quero que ela vá me visitar na cadeia não. Pode me deixar morrer por lá mesmo. 

Polícia prende três suspeitos de terem matado o rapaz no Bairro Santa Ruth


Itabira/MG - Através de investigações a Polícia Civil chegou a três suspeitos de terem matado o desempregado Aisto Silva, de 23 anos, na noite de quinta-feira, 26 de janeiro, no Bairro Santa Ruth, em Itabira.
De acordo com a Polícia Civil, são eles Deivison Fernandes de Sousa; Silvânia Maria da Silva e Guilherme Henrique dos Santos, todos maiores de idade.
Segundo o delegado Juliano Alencar, que ratificou a prisão em flagrante, uma testemunha contou em detalhes de como aconteceu o crime.
De acordo com o delegado Juliano, a testemunha disse que Silvânia, conhecida como “Lia”, monitorava os passos de Aisto e passava as informações para Deivison, que pilotava uma motocicleta e carregava na garupa Guilherme Henrique, vulgo “Menor”, suspeito de ter efetuado os disparos contra a vítima.
O delegado contou ainda que a motivação do crime seria uma rixa entre facções rivais na região e que já houve duas residências atingidas por disparos, inclusive a residência da Silvânia. “Os autores foram presos e o único que sobrou da outra facção foi o Aisto, que foi morto nesta quinta-feira pela turma da Lia”, finalizou Juliano Alencar.
Na mesma noite em que ocorreu o crime, uma equipe da Polícia Civil, comandada pelo delegado Juliano Alencar e outra equipe da Polícia Militar detiveram os suspeitos, próximo ao local do crime. “Por pouco não foram liberados por falta de provas. Mas, uma testemunha não se calou e denunciou os suspeitos”, contou o delegado Juliano.
Na delegacia, Deivison falou com a reportagem do NotíciasUai que está preso injustamente. Segundo ele, está com uma das mãos operada, não tendo condições de pilotar a motocicleta.
Deivison disse ainda que já cometeu um homicídio e que ele mesmo se apresentou “para não dar trabalho à polícia”, mas, que neste crime ele não tem envolvimento algum. Segundo ele, estava em um bar no momento do crime. “A sociedade é assim mesmo. Me coloca na rua e depois prende”, disse Deivison.
Já Guilherme Henrique, mais conhecido como “Menor”, disse que mesmo não tendo celular e nem relógio, ele pegou o ônibus de 21h40 e chegou no bar próximo ao local do fato. Às 21h55 comprou um maço de cigarros e que, em seguida, foi abordado pelos policiais falando que era ele o autor do homicídio de Aisto.
Segundo Guilherme, na realidade ele nem conhece a vítima e que no bairro João XXIII e Santa Ruth há várias pessoas que tem o apelido de “Menor” e que ele tem o hábito de sair do Bairro Barreiro, onde reside, para tomar cerveja no local onde foi abordado. Ele disse ainda que, mesmo não tendo celular ou relógio para olhar as horas, ele perguntou às pessoas que estavam no interior do estabelecimento.
Devido ao estado emocional de Silvânia, ela não foi entrevistada pela reportagem. Mas, segundo familiares da suspeita, ela disse que não tem nada a ver com o homicídio.
Hoje pela manhã uma moradora próxima ao local do crime entregou à Polícia Civil dois projéteis que serão analisados pela perícia, para saber qual o calibre da arma usada pelo atirador.
Por volta das 12hs os três suspeitos foram levados para o Presídio de Itabira, onde ficará à disposição da Justiça.
Toda investigação foi coordenada pelo inspetor Hélio, da Polícia Civil, juntamente com o delegado Juliano Alencar.

Capitão da PM suspeito de matar advogada em Ouro Preto tem pedido de habeas corpus negado.





O capitão da Polícia Militar de Minas Gerais, suspeito de participação no assassinato de uma advogada e do marido dela no distrito de Cachoeira do Campo, em Ouro Preto, na região Central do estado, teve o pedido de habeas corpus negado pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Ari Pargendler.
O policial teve prisão temporária decretada a pedido do Ministério Público de Minas Gerais. Uma liminar de habeas corpus já havia sido negada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O ministro Ari Pargendler negou a liminar, seguindo a Súmula 691 do Supremo Tribunal Federal, que impede a impetração de habeas corpus contra liminar negada em habeas corpus anterior. O mérito do pedido será julgado pela Sexta Turma. O relator é o ministro Sebastião Reis Júnior.
A advogada e o marido dela foram encontrados mortos por um amigo da família, em dezembro do ano passado. Os corpos estavam em estado de decomposição, com marcas de tiros. O duplo assassinato teria sido motivado por disputa de terras na região.
Segundo a polícia, além do capitão, outros dois policiais e mais duas pessoas foram presos suspeitos de envolvimento com o crime. As prisões ocorreram após textos e gravações serem apreendidos na residência das vítimas. Os documentos informavam que a advogada vinha sendo ameaçada e que, caso algo acontecesse a ela, a responsabilidade seria dos indivíduos que foram detidos.

Justiça seja feita


Morte Sargento Rafael do GATE – Entidades de Classe e parlamentares solicitaram ao Procurador Geral da Justiça o acompanhamento do Ministério Público no inquérito

O presidente do Centro Social dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CSCS PM/BM-MG), Cabo Coelho, o deputado Sargento Rodrigues, o vereador Cabo Júlio e representantes do COPM, UMMG, Aspra, ASCOBOM e AOPMBM, estiveram reunidos nesta quarta-feira, 25 de janeiro, com o chefe do Ministério Público, Procurador Geral de Justiça, Alceu Torres Marques. De acordo com o presidente Cabo Coelho, durante o encontro os representantes dos militares tiveram a oportunidade de externar a grave repercussão do caso, que culminou na morte do 3º Sargento ... mais »

12ª RPM EM ALERTA - Itabira - PM registra 3° homicídio do ano, após homem ser morto a tiros


Itabira/MG - Um homem identificado como Aisto Silva foi morto com ao menos três tiros dos cinco que foram ouvidos pelas testemunhas.
O crime aconteceu por volta das 20h 30min desta quinta-feira, 26 de janeiro, na Rua 19, no Bairro Santa Ruth.
A vitima teria sido atingida pelos tiros quando ainda estava no alto da rua e possivelmente tenha tentado correr, pois cerca de 15 metros de onde o corpo ficou caído, a policia encontrou uma garrucha dois canos de calibre 22, munição que estava intacta, mais acima deste local a porta de madeira de uma casa estava com uma perfuração e o projétil cravado nela. Testemunhas disseram que horas antes do crime, a vítima foi vista rondando o local em uma motocicleta. Já a família da vítima relatou aos militares que Aisto estava sendo ameaçado de morte.
A Polícia Militar compareceu ao local, com grande aparato policial por se tratar de um local complicado e de recente troca de tiros e casas alvejadas com rajadas de tiros.
Os militares registraram o boletim de ocorrência e a perita técnica Cristina Martins da Policia Civil, bem como vários investigadores e o Delegado Juliano Alencar estiveram no local.
Após os trabalhos o corpo foi liberado para uma funerária credenciada e levado para o IML (Instituto Médico Legal) do cemitério da Paz.
Lembrando
Em 2012, já foram registrados dois homicídios em Itabira. Um no bairro Pedreira e outro no Bairro Gabiroba, totalizando três com este crime ocorrido nesta quinta-feira.

Rapaz é executado na Serra dos Cocais

FABRICIANO - Na manhã de ontem, o corpo de um jovem aparentando ter 25 anos foi encontrado em uma estrada vicinal que dá acesso à Serra dos Cocais.
A vítima, um rapaz moreno escuro, usava camisa listrada azul, bermuda de preta com listras brancas e azuis e um boné. O cadáver encontra-se no Instituto Médico Legal de Ipatinga, aguardando identificação.
Segundo a Polícia Militar, o corpo foi encontrado por um campeiro que, assustado, correu até uma casa mais próxima para avisar sobre o ocorrido.
O perito Gilmar compareceu ao local do crime e recolheu cápsulas de uma pistola calibre 380 e constatou várias perfurações feitas por arma de fogo no corpo. A vítima foi atingida na cabeça, costas, braços, rosto e ainda teve o braço direito quebrado antes da execução. 
Pela posição em que o corpo foi encontrado (de bruços e com o antebraço escondendo o rosto), tudo indica que o rapaz foi levado para o local para ser executado. 
Ainda foram encontradas marcas de pneus, provavelmente de um jipe ou caminhonete. Somente o laudo da perícia pode confirmar as apurações feitas no local. 
A polícia suspeita de que o homicídio possa ser um acerto de contas por dívida de droga. 

SÉTIMO

Este já é o sétimo assassinato contabilizado somente neste ano em Coronel Fabriciano. Para as autoridades policiais o número é preocupante. Segundo o tenente Wesley Flávio, uma ação conjunta entre o Ministério Público, PM e Polícia Civil é primordial para o combate a este tipo de criminalidade.